o túmulo

Acordarei à meia-noite
No meu túmulo de princesa:
Velas acesas,
Ouro cintilando
Por toda a parte.
Precisarei de um barco
Com uma flor de lótus na proa;
De um vaso de alabastro
Com essência oleosa e boa
E, para minha proteção,
De uma leoa.
À meia noite.

Raquel Naveira in “Senhora do Nilo”

www.pdf24.org    Send article as PDF