Vamos admitir. Nós, mulheres, estamos construindo uma terra natal; cada uma com seu próprio lote de terra extraída de uma noite de sonhos, um dia de trabalho.

pinalcatheaEstamos espalhando essa terra em círculos cada vez mais amplos, bem devagar.

Um dia, ela será uma terra contínua, uma terra ressuscitada de volta dos mortos. Mundo de la Madre, a terra natal psíquica, que coexiste e é equivalente em todos os mundos.

É um mundo feito da nossa vida, dos nossos gritos, do nosso riso, dos nossos ossos.

É um mundo que vale a pena criar, no qual vale a pena viver; um mundo em que predomina uma sanidade honesta e selvagem

Tenhamos em mente que não se pode esconder o que há de melhor.

A meditação, a instrução, todas as análises de sonhos, todo o conhecimento dos verdes campos divinos não têm nenhum valor se forem guardados para a própria pessoa ou para uma dúzia de escolhidos.

Portanto, apareça. Apareça, onde quer que esteja.

Deixe pegadas fundas porque você pode fazer isso.

Seja a velha na cadeira de balanço que embala uma idéia até que ela volte a remoçar.

Tenha a coragem e a paciência da mulher na história do urso da meia-lua, que aprende a ver além da ilusão.

Não se distraia queimando fósforos e fantasias como a pequena menina dos fósforos.

Não desista até encontrar a família à qual pertence, como o patinho feio.

Despolua o rio criativo para que La Llorona encontre o que lhe pertence.

Como a donzela sem mãos, deixe que o coração paciente a guie floresta afora.

Como La Loba, colha os ossos dos valores perdidos e cante para devolvê-los à vida.

Perdoe tanto quanto puder, esqueça um pouco e crie muito.

O que você faz hoje influencia suas descendentes no futuro.

As filhas das filhas das suas filhas irão provavelmente lembrar-se de você e, o que é mais importante, seguir seu exemplo.

Clarissa Pinkola Estés Mulheres que correm com os lobos

ALCATHEA2

www.pdf24.org    Send article as PDF