Foi de tanto vê-la lendo, estudando e devorando as enciclopédias e revistas sobre plantas que peguei gosto pela leitura. Cresci enquanto ela
semeava, regava e enchia nossa chácara de flores, frutas e folhagens. Minha responsabilidade era fazer o almoço, limpar a casa e cuidar das preocupações de adolescente.

Convivi com aquelas plantas por mais de 10 anos, mas nunca consegui acertar os nomes das árvores ali plantadas. Me formei em Jornalismo. Sonhei com a minha própria revista. Mas confesso, até outubro do ano passado eu não dava a mínima para plantas.

Nossa primeira Sálvia!
Nossa primeira Sálvia!

Não vou me culpar por não ter me permitido aprender desde cedo a arte de CUIDAR. Afinal, na adolescência a maioria de nós mal sabe cuidar do próprio nariz, imagine cuidar de outro ser vivo?! Salvo algumas exceções, claro.

Foi só depois de também me tornar mãe (+ 1 ano de terapia e estudos sobre Sagrado Feminino) que comecei a entender tudo. Minha mãe SEMPRE me ensinou a AMAR por meio de seus cuidados. Cuidados com os filhos, com a casa e com as plantas.

E assim aprendi, depois de vários perrengues, que não basta querer TER uma casa, é preciso gostar de CUIDAR. Não basta querer TER filhos, é preciso gostar de CUIDAR. Não basta querer TER plantas (ou animais de estimação), é preciso gostar de CUIDAR.

Infelizmente não temos aqui um manual completo de como lhe ensinar a arte de CUIDAR, mas posso garantir que com algumas dicas e boas doses de amor, paciência, persistência e dedicação tudo vai dar certo.

Hoje, depois de 2 anos e 5 meses de trabalho, o CUIDAR começou a se tornar orgânico para mim. A gestação e o ciclo de vida, do filho e das sementes, me ensinaram (e ensinam) a ter delicadeza, assertividade e a confiar nos meus instintos. Vê-los crescer fortes e saudáveis me enchem de amor e plenitude.

Francisco e sua Árvore no Jardim da Vovó
Francisco e sua Árvore

Agora caminho com minha mãe pelo quintal, e como meu filho, vou descobrindo um novo mundo, vou apontando as plantas e repetindo “O que é isso mãe? ”.  Não tem prazer maior em vê-la feliz, compartilhando toda sua sabedoria.

Assim, como Menina do Dedo Verde, deixo o convite para seguirmos juntas nessa jornada de descobertas dos segredos das mulheres da terra, acolhendo e cuidando das plantas e de nós mesmas. Em um processo onde o exterior transmuta o interior. E o interior nutre o exterior.

 

Cíntia Carvalho pindedoverde

www.pdf24.org    Send article as PDF   

One Reply to “Mais do que querer TER, é preciso aprender a CUIDAR”

Comments are closed.