“Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Benjoim, alecrim e alfazema
vamos defumar filhos de fé

Defumei, defumei
Em nome de Oxalá
Que todo mal que aqui estiver
Parta para as ondas do mar.”

Se tem uma erva que o brasileiro conhece bem, essa erva é a poderosa arruda!
Já falamos um pouco sobre ela no artigo Vaso de 7 Ervas e, hoje vamos conhecer mais sobre as propriedades, utilizações e cultivo dessa lindeza!

Nome: 

A arruda (Ruta graveolens), também conhecida popularmente como arruda-fedida, arruda-doméstica e arruda-dos-jardins, é uma planta da família das Rutáceas. A planta tem um cheiro forte provocado pelo seu óleo, possui caule lenhoso, folhas carnudas, pequenas flores de tom verde-amareladas e pode chegar a atingir até um metro de altura.

A arruda é composta por óleo essencial, flavonoides, metilnocilcetona, furacumarinas, alcaloides, taninos e rutina, que é a responsável por fornecer resistência aos vasos sanguíneos.

Lendas e Mitos:

Na Antiguidade era costume usar ramos de arruda para aspergir água benta sobre as pessoas nas missas solenes. Era também usada para proteger contra bruxarias, purificar, prevenir contra doenças contagiosas e para propiciar o dom da premonição. Desde a Grécia Antiga, a planta é utilizada para afastar o mau-olhado e passou a ser usada também em benzimentos e por benzedeiras em suas rezas.

Cultivo:

A arruda pode crescer em muitos tipos de clima. Embora os melhores resultados sejam obtidos com temperaturas amenas, esta planta pode crescer bem em temperaturas entre 4°C e 30°C. Se desenvolve melhor com luz solar direta, mas também tolera sombra parcial.

Cultive preferencialmente em solo calcário, bem drenado, com pH entre 7 e 7,5. No entanto, esta planta pode ser cultivada em diversos tipos de solo, incluindo solos pedregosos, pouco férteis e solos levemente ácidos.

As mudas devem ser bem irrigadas, as plantas bem desenvolvidas toleram curtos períodos de seca, de forma que é possível irrigar de forma esparsa, permitindo que o solo seque superficialmente entre uma irrigação e outra. O excesso de água no solo pode prejudicar esta planta.

A arruda pode ser propagada por sementes, por divisão de plantas bem desenvolvidas ou por estaquia. As sementes podem ser semeadas no local definitivo ou em sementeiras, a uma profundidade de 0,5 cm no solo. A germinação leva de 1 a 3 semanas. Se semeadas em sementeiras, transplante as mudas quando estiverem com cerca de 10 cm de altura.

Os ramos de plantas bem desenvolvidas podem enraizar naturalmente em contato com o solo, de forma que plantas mais antigas podem ser divididas. Ramos saudáveis também podem ser cortados e parcialmente enterrados para enraizarem, formando novas plantas. A arruda pode ser cultivada em vasos e jardineiras grandes.

Atributos:

A planta trata inflamações nos olhos e olhos cansados, insônia, pneumonia, onicomicose, prisão de ventre, feridas, piolhos, varizes, vermes, sarna. É utilizada também em casos de atrasos menstruais, pois a arruda estimula o útero e provoca o sangramento menstrual. Mulheres grávidas não devem utilizá-la!

O chá de arruda serve para afecção dos rins, azia, asma brônquica, problemas na bexiga, dermatite, dor intestinal, enxaqueca, problemas no fígado, gases, gota, hemorroidas, inchaço nas pernas, incontinência urinária, insônia, menstruação escassa e vermes. Externamente age contra piolhos, flebites, abscessos, erisipela varizes.

A arruda é um dos maiores termômetros do ambiente, pois quando plantada indica a qualidade da energia do local pela sua vitalidade. É umas das ervas mais poderosas para combater inveja e olho-gordo. Nas essências florais a arruda facilita o aflorar do poder da vontade, para se construir uma vida harmoniosa, próspera e pacífica, exercendo a cada momento o livre arbítrio ao mesmo tempo em que protege o espaço físico, psíquico e espiritual do indivíduo.

Utilização:

A arruda pode ser usada nas formas de infusão, maceração e tintura:

  • Infusão: Usar de 2g a 3g de folhas secas para um litro de água fervente. Tomar duas xícaras ao dia.
  • Maceração: Adicionar uma colher (café) de folhas em uma xícara (café) de água quente, deixar tampado por 5 minutos. Tomar três vezes ao dia.
  • Tintura para tratamento de sarna: Colocar um copo de folhas em um litro de álcool e deixar por uma semana.
  • Infusão para piolhos e sarna: Adicionar 20g de folhas frescas em um litro de água quente.
  • Para combater a conjuntivite: Amolecer as folhas da arruda com água mineral. Após isso, embeber um chumaço de algodão nessa água. Aplicar sobre os olhos fechados. As folhas também podem ser fervidas antes, mas devem estar em temperatura ambiente.
  • Para vermes: Deixar um litro de água ferver por 20 minutos e adicionar 150 gramas das folhas secas de arruda. Tampar de deixar descansar por 10 minutos. Coar e tomar o chá duas ou três vezes ao dia.

Contra Indicações:

O chá de arruda não deve ser consumido por crianças menores de seis anos e nem por mulheres gestantes. O uso contínuo do chá pode acarretar riscos de problemas ao fígado e aos rins.

Em contato com a pele, a planta pode provocar fitofotodermatose, assim evite cultivá-la em locais onde as pessoas passam frequentemente. Use luvas para proteger as mãos e roupa adequada para proteger as partes do corpo que poderiam entrar em contato com a planta quando a estiver manuseando ou cortando, especialmente em dias ensolarados.

Fontes:
Hortas
Cura Pela Natureza
– Benefícios das Plantas
Raízes Espirituais

Cíntia Carvalho 

www.pdf24.org    Send article as PDF