Criança pura, de olhar despreocupado
E o rosto sonhador das maravilhas!

 Embora o tempo seja rápido e suas trilhas
Por meia vida nos tenham separado

Teu sorriso contente saudará as baladas
No dom de amor deste conto de fada

Teu sorriso contente saudará as baladas
No dom de amor deste conto de fadas

(letra traduzida de Omnia, Fairy Tale)

A Donzela na Psicologia Analítica é vista como um arquétipo e na psiquê feminina ocorre de maneira muito particular podendo ser compreendida como o sopro da vida, é ela que nos traz o ânimo de buscarmos novos ideais e perspectivas, conseguimos enxergar as coisas de forma mais doce e leve devido a esse Arquétipo que carregamos, são conjuntos de características que conseguimos entender como “Donzela”.

Também vista como “Criança Interior”, poder entrar em contato com esse Arquétipo terapeuticamente falando é extremamente transformador, carregamos memórias emocionais vividas durante nossa Infância que nem sempre são boas e carregamos ao longo de nosso desenvolvimento essas dores não elaboradas vão para nosso Inconsciente.

Traumas emocionais carregados até a vida adulta acabam que por formar uma Criança Interior podada e incompreendida o que nos impede de vivenciar toda a potencialidade criativa que ela deveria nos trazer. Como entrar em contato de fato com nossa Donzela? Os caminhos são diversos, mas umas das formas é estar em um círculo de mulheres, sendo ele como um organismo vivo e pulsante a Donzela que vibra cores e busca o brincar como a forma mais autêntica de expressão, as mulheres ou como gosto de chamar Donzelas Crescidas tem um terreno muito fértil para serem o que verdadeiramente são.

Acolhidas, estas Donzelas poderão se sentir confiantes em pulsar sua criatividade para além do círculo, pois fazer aquilo que o nosso coração clama é alimentar nossa Criança Interior e deixa-la correr livremente é confiar.

Andressa Ferreira Thome

www.pdf24.org    Send article as PDF