11 94208-5196

Tira a rodinha da bike Maya! – Devaneios da Deusa

Reencontro, Aprimoramento e Transcendência a Energia Feminina

Tira a rodinha da bike Maya! – Devaneios da Deusa

Mulher Selvagem, que em seus instintos se entregou à liberdade, abençoada seja!

Mas será que realmente, ao pegar sua bike, colocar sua mochila, sair pedalando pela vida, você se libertou de verdade?

Dá uma olhada nessa bike … será que ela ainda tem rodinhas?

Quando você decidiu ser uma mulher liberta, livre dos estigmas sociais, de conceitos patriarcais, seus valores pessoais te definiram e fizeram com que você criasse coragem para seguir seu caminho.


Mas em que seus pilares se sustentaram para te dar força e estrutura para continuar?


Ao pegar sua bike essas rodinhas de início da jornada trouxeram os preceitos da sua essência ou foram fixadas por modelos e experiências vividas, referências de busca de um sonho projetado já conquistado por outras pessoas?


Ahhh, Mulher Selvagem! Em que verdade você está trilhando a sua viagem?


O jardim dos outros, mais verde, não serve de inspiração para sua vida … as sementes germinadas em outros terrenos não servem para ser colhidas por você … o caminho de tanta luz que você que vê que o outro criou não ilumina a sua estrada …


Alinha seu Coração com seu Ventre, se Sustente em suas próprias Pernas, Escute o Pulsar de suas células,  Aprenda o tempo de ser e estar com seus Ciclos.


Só dessa forma sua força motriz, seu equilíbrio e sua entrega para suas vivências será Real!


texto Tamaris Fontanella


#despertarfeminino #devaneiosdadeusa #deusasarquetípicas #deusamaya
#sagradofeminino #femininosagrado

___________________________________________________

O Véu de Maya é nome dado pelos Hindus para a percepção da nossa realidade física. Essa percepção seria uma “falha” de nossos sentidos.

Maya é o nome de uma deusa indiana que representa a ilusão em todas as suas manifestações. A ilusão do mundo físico é Maya.

Maya também é chamada de Shakti, o poder feminino e a Mãe Divina.  Ela é a responsável por girar a Roda do Destino, vista muitas vezes como uma aranha tecendo com sua teia e, portanto, representando o arquétipo da Tecelã, também visto em outras culturas.

Maya sugere que está na hora de ver o que é ilusão, o que é verdadeiro, o que é real. Enxergar por trás da ilusão lhe confere poder.