No último artigo aqui da coluna, sobre as Reflexões da Mãe Terra, falei da super manutenção que fiz no meu canteiro de ervas. Dentre as mudinhas que sofreram com as pragas e a falta de espaço, estava a Melissa. Depois de colher e limpar em volta, pude notar que haviam muitas folhas mortas e corroídas, sua vitalidade estava comprometida. Felizmente deu tempo de salvá-la, mas agora será preciso atenção e cuidado.

Confira logo abaixo algumas informações sobre o cultivo e suas propriedades medicinais!

Nome: 
A Erva-cidreira (Melissa officinalis) é uma planta vivaz, cultivada ou subespontânea no nosso país, que pode crescer até aos 80 cm de altura e 50 cm de diâmetro. Foi introduzida há muito tempo na Europa, a partir da Ásia Ocidental, e é vulgar encontrá-la próximo das casas, em caminhos, sebes, taludes, até junto a vinhas. Também conhecida como melissa ou citronela-menor, as suas folhas, quando manipuladas, libertam um forte e agradável aroma a limão doce. Apesar de resistente ao frio, a sua parte aérea pode mesmo desaparecer totalmente durante o Inverno.


Cultivo:
A melissa é uma planta delicada, desenvolvendo-se melhor à sombra ou se plantada na horta, com exposição para leste, recebendo sombra à tarde. Aprecia solo humoso e fértil, bem drenado. Preparar o canteiro com adubo animal de curral bem curtido, cerca de 3 kg/ m² e composto orgânico de folhas, feito em composteira ou adquirido. Misturar bem, nivelar e plantar as mudinhas, regando a seguir. Regar todos os dias por uma semana depois espaçar as regas para o regime de regas normal para o canteiro.A temperatura ideal para o cultivo da melissa situa-se entre 15°C e 20°C, mas pode ser cultivada com temperaturas oscilando entre 4°C e 25°C. A planta é sensível a temperaturas muito baixas e a geadas.

Retire plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos. A melissa tem crescimento vigoroso e suas sementes facilmente se espalham e germinam. Assim o local de cultivo deve ser delimitado e as plantas podadas para que não invadam a área destinada a outras culturas. Embora possam viver por dez anos, as plantas devem ser substituídas em intervalos de 2 a 4 anos para manter uma boa produtividade. Em regiões de inverno muito frio a melissa é cultivada anualmente.

Melissa de vaso:
A melissa se dá bem em vasos grandes, de boca aberta. É uma boa planta para as áreas de sombra da varanda desde que a luminosidade seja grande. Não gosta de terra encharcada então, não abuse das regas e faça uma boa drenagem no vaso. Essa planta aguenta bem o solo ressecado mas, se tiver muita umidade e pouca insolação, vai criar fungos e outros bichinhos que estragarão o seu chá, depois.

Colheita:
A melhor época para se colher as folhas da melissa é no verão, antes da floração. É então que as folhas têm maior conteúdo de óleos aromáticos e princípios ativos. Prefira colher antes do sol esquentar, de manhãzinha, quando o orvalho da noite já secou e, lembrando da lua, as melhores fases são na lua crescente ou cheia, quando a seiva está nas folhas e caule. Para secar suas folhas de melissa, deixe-as espalhadas, sem amontoar, numa cesta, em lugar seco, ventilado e sem sol. Você também pode cortar os ramos da melissa, amarrar e pendurar para secar, esta é uma forma bastante prática também.

Propriedades: 
Com inúmeras propriedades medicinais, é considerada anti-inflamatória, antioxidante, antiviral, digestiva, calmante e sedativa, associada a tratamentos de problemas nervosos, perturbações do sono e problemas gastrointestinais de origem nervosa tais como espasmos, enfartamento e anorexia e ainda no tratamento de febres e constipações. Externamente, pode ser esfregada na pele para aliviar picadas de insectos ou mesmo para evitar que estes piquem, já que o seu óleo essencial é um excelente repelente.

Os benefícios do chá de erva-cidreira estão relacionados às propriedades medicinais que esta planta possui. Assim, dentre os principais benefícios, inclui-se:

  1. Melhorar a qualidade do sono;
  2. Aliviar as dores de cabeça;
  3. Combater os gases;
  4. Prevenir distúrbios digestivos;
  5. Aliviar as cólicas menstruais e intestinais;
  6. Prevenir distúrbios renais;
  7. Promover o alívio da tosse;
  8. Promover o bem-estar e a tranquilidade.

Contraindicações:
Apesar de ser uma planta bem comum e muito usada no país inteiro, um certo grupo de pessoas podem desenvolver hipersensibilidade à erva cidreira. É bem raro, mas se perceber algum incômodo após ingerir a planta, observe a incidência e evite-a.

Fontes:
– Cantinho das Aromáticas
– GreenMe
– Saúde Dica
– Hortas
– Faz Fàcil
– Receita Natural 

Cíntia Carvalho

#despertarfeminino #saberesfemininos #meninadodedoverde #melissa #ervacidreira

www.pdf24.org    Send article as PDF