Minhas bebês!

Cultivar lavandas foi um drama no ano passado, pois, deixei morrer pelo menos meia dúzia de mudas. Uma hora era o sol forte, outra frio, outra chuva. Já tinha quase desistido quando esse ano decide tentar novamente.

A diferença é que dessa vez coloquei 3 pezinhos em uma jardineira de plástico e as deixei bem na porta da lavanderia, onde pega sol sempre e podemos vê-la a todo tempo (evitando esquecer de regar). Outra coisa bem bacana é que depois que comecei a plantar minha lua nela (assunto para outro post), as flores se multiplicaram rapidamente. Amor Resume!

Agora vem chegando o momento de transplantar, pois desejo que elas se tornem lindos arbustos. Por isso, busquei algumas informações que compartilho com vocês. Boa Leitura!

Nome:

As lavandas (em Portugal também conhecidas como alfazemas) são plantas do gênero Lavandula, da família Lamiaceae. São pequenos arbustos, perenes, incluindo também as anuais e os subarbustos. As espécies mais usadas como ervas e para ornamentação são a chamada lavanda inglesa e a Lavandula angustifolia (L. officinalis). As espécies ornamentais de lavandula reconhecidas em Portugal são: L. luisieri, L. viridis, L. pedunculata, L. latifolia Medicus e L. multifida L.

O seu nome deriva do latim “lavare”, que significa “lavar”. Como o próprio nome  sugere, esta planta é muito conhecida por seu poder antisséptico e seu cheiro também é muito associado a produtos de limpeza. Pode ser utilizada no preparo de banhos, assim como para a extração de óleo, usado na aromaterapia e na indústria de cosméticos. Na cozinha deve ser utilizada com moderação. Tanto as flores quanto as folhas podem ser utilizadas no preparo de doces e bebidas. Muito cultivada na Europa, os campos mais conhecidos de lavanda ficam em Provence, na França.

Cultivo:

A lavanda é bastante tolerante quanto a temperatura, porém não cresce bem em um clima muito úmido ou muito frio. Necessita de luz solar direta pelo menos por algumas horas diariamente. Cultive em solo bem drenado, leve, moderadamente fértil, com pH entre 6,5 e 7,5. O ideal são solos calcários, preparado com uma mistura de areia, terra e composto orgânico. Esta planta é sensível ao excesso de água. O solo deve permanecer sempre levemente úmido durante a fase inicial de crescimento. Quando bem desenvolvida, a lavanda é resistente a períodos de seca e pode ser irrigada esparsamente.

As flores são colhidas assim que se abrem, cortando quase todo o ramo. As folhas podem ser colhidas quando necessário, mas são menos apreciadas do que as flores. O óleo essencial é extraído apenas das flores recém-colhidas. Esta planta cresce de forma relativamente lenta, e embora chegue a florescer no primeiro ano, a floração é mais abundante a partir do segundo ano de cultivo. A lavanda é uma planta perene e pode produzir bem por mais de uma década.

Propriedades:

Devido às suas propriedades terapêuticas, a lavanda pode ser usada para tratar várias condições de saúde: problemas de pele, como acne, pé-de-atleta, bolhas e caspa; dores musculares e reumatismo; asma e bronquite; cólicas abdominais e TPM, ansiedade, estresse, dentre outros problemas. O benefício mais conhecido do óleo essencial de lavanda está relacionado com os seus efeitos anti-inflamatórios. Devido a essa propriedade, a planta é excelente no tratamento de queimaduras, inflamações, psoríase e feridas.

Além dos já citados, a lavanda também proporciona os seguintes benefícios:

  • Trata problemas respiratórios, como gripe, bronquite, tosse, asma, laringite e congestão nasal;
  • Excelente relaxante, esta planta ajuda a baixar a tensão arterial e na melhora da regulação da função cardíaca;
  • As propriedades relaxantes da lavanda também auxiliam no tratamento de problemas do sistema nervoso, como dor de cabeça, insônia, depressão e fadiga nervosa;
  • Devido às suas propriedades diuréticas, o óleo essencial de lavanda favorece a eliminação de líquidos e substâncias nocivas para o organismo;
  • Alivia cãibras e ajuda a restabelecer desequilíbrios hormonais;
  • O óleo essencial de lavanda também atua no aumento do movimento intestinal e no estímulo da digestão;
  • Reduz a tensão muscular.

Como usar:

Além do óleo essencial da planta (veja óleos sagrados despertar feminino), também são utilizados o vinagre de lavanda e as suas flores. O chá de lavanda é indicado para tratar ansiedade, dores de cabeça e reumatismo; já o seu vinagre é útil no tratamento de constipações e febres.

Contra Indicações: 

Não há contraindicações ou efeitos colaterais, o óleo essencial pode ser usado por qualquer um, em crianças, idosos, grávidas, diabéticos, hipertensos e até em animais.

Fontes:
– Plantei
– Sustentabilidade Estadão
– Minhas Plantas
– Paisagística
– O lavandário
– Remédio Caseiro
– Benefícios das Plantas

Cíntia Carvalho
#despertarfeminino #saberesfemininos #meninadodedoverde #lavanda

www.pdf24.org    Send article as PDF